Início Destaque Período de chuvas requer mais atenção contra o mosquito Aedes aegypti

Período de chuvas requer mais atenção contra o mosquito Aedes aegypti

Os boletins registraram uma redução de casos de dengue e zika, mas há um aumento de pessoas afetadas pela chikungunya

Os casos de zika registraram diminuição, quando comparados os anos de 2016 e 2017

O início do período de chuvas em algumas regiões do Estado pode propiciar a proliferação do mosquito Aedes aegypti se a população não estiver em constante vigilância e tomando os devidos cuidados no combate à dengue, zika e chikungunya, alerta a Secretaria de Estado da Saúde.

O supervisor de Entomologia, Ocimar de Alencar, ressalta que população deve fazer a sua parte para evitar a proliferação do mosquito. Nesta época do ano, os cuidados devem ser redobrados. “É importante não deixar nenhum recipiente que acumule água, mesmo os pequenos, como tampa de refrigerante e casca de ovo, porque pequenas quantidades de água podem ser um criadouro das larvas”, explica o supervisor, enfatizando que o período de chuvas pode aumentar os casos.

Os boletins registraram uma redução de casos de dengue e zika, mas há um aumento de pessoas afetadas pela chikungunya. Houve uma diminuição de 1,8% nos casos de dengue, em relação ao mesmo período de 2016. De 01 de janeiro a 20 de dezembro deste ano, foram 5.154 casos notificados em 129 municípios.

Em relação à chikungunya, foram notificados 6.322 casos em todo o estado, registrando aumento de 205,1% em relação ao mesmo período de 2016. As maiores incidências de chikungunya por 100 mil habitantes foram registradas nas cidades de Francinópolis, Cajueiro da Praia, São Raimundo Nonato, Várzea Branca e Luís Correia.

Os casos de zika registraram diminuição, quando comparados os anos de 2016 e 2017, com 216 e 156, respectivamente.

Confira o boletim 

Fonte: Ccom