Início Destaque PP e PT divergem na escolha do representante ao Senado destas eleições

PP e PT divergem na escolha do representante ao Senado destas eleições

Ciro Nogueira (PP) e Regina Sousa (PT) almejam apoio, mesmo após coligação entre partidos

Apesar de o governador Wellington Dias apoiar a reeleição de Ciro Nogueira ao Senado, alguns petistas não linearam o voto a partir da aliança firmada entre o PP e o PT no Piauí.

O presidente estadual do Partido Progressistas, o deputado Júlio Arcoverde, falou sobre o apoio do PP à reeleição de Wellington Dias. Segundo ele, o partido abriu mão da vaga na disputa para vice, que teria o nome de Margarete Coelho, para que o governador trabalhasse a chapa majoritária, para que Wellington Dias pudesse englobar o maior número de partidos.

Júlio Arcoverde falou que o presidente nacional do PP, Ciro Nogueira, tem grande apoio do Partido dos Trabalhadores, que compõe coligação com o PP nestas eleições. Segundo ele, o único petista que não estaria apoiando a pré-candidatura de Ciro ao Senado, seria o prefeito de Picos, Walmir Lima.

“Eu só conheço um setor do Piauí que não vota no senador Ciro, é o Padre prefeito de Picos [ José Walmir Lima]”, comentou. O deputado reconheceu também que há progressistas que não votam em petistas e que isso é normal na política. “Tem alguns setores do Progressistas que também não votam no governador Wellington Dias”, falou.

Já o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Assis Carvalho, falou que no momento atual deve-se dar prioridade à formação das chapas e só depois é que serão discutidas as escolhas dos nomes.

“A eleição é muito subjetiva, aqui e em todo lugar do mundo, nós temos gente do PT que pode não votar no Ciro, e tem gente do PP que pode não votar na Regina. É um jogo democrático, nós vamos estar dialogando na hora oportuna, tão logo registram as chapas e vamos fazer o diálogo com o partido. Eu só acho que neste momento, nós temos que tomar a primeira providência que é organizar as chapas, não cabe agora falar em quem eu voto ou quem não voto”, definiu.

Assis carvalho falou que após o registro das chapas é que os coligados farão reuniões e definirão o destino dos candidatos piauienses. O petista falou também que depois das convenções será feito um trabalho em todo estado, sobretudo em Picos, para tentar reeleger a senadora Regina Sousa.

“Depois das convenções nós vamos discutir com a sociedade, com todo mundo, inclusive com Picos, porque eu quero que Picos ajude a reeleger a Regina. Tomando a decisão diferente, naturalmente vai estar tirando voto da nossa senadora. […] O PT precisa de voto para eleger a Regina, então se o PT declara que não vota no aliado, dá direito ao aliado dizer que não vota na Regina e aí quem se beneficia com isso é Wilson Martins. Então essa é uma decisão que cabe ao líder político tomar com muita responsabilidade”, destacou Assis Carvalho.

Além de Regina Sousa (PT) e Ciro Nogueira (PP), no Piauí há ainda os nomes de Wilson Martins (PSB), Jesus Rodrigues (PSOL), Dr. Pessoa (Solidariedade), entre outros, que almejam vaga no Senado Piauiense.

CONFIRA AS ENTREVISTAS: 
JÚLIO ARCOVERDE-

ASSIS CARVALHO-