Início Destaque Técnicos Administrativos da UFPI deflagram greve por tempo indeterminado

Técnicos Administrativos da UFPI deflagram greve por tempo indeterminado

Campus da UFPI de PIcos - Foto: Reprodução

Os servidores técnicos administrativos das universidades federais do país deflagraram greve nesta sexta-feira (10) por tempo indeterminado. No Piauí, além de Picos, os campi de Teresina, Floriano, Parnaíba e Bom Jesus também estão unidos no movimento. O indicativo de greve para esta sexta-feira foi sinalizado com uma paralisação da categoria no último dia 27 de outubro.

De acordo com o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores da UFPI (SINTUFPI), subseção de Picos, Erlândio Andrade, na próxima terça-feira (14) acontecerá uma assembleia com a presença do reitor da instituição, José Arimateia Lopes, para tratar de demandas locais. Segundo ele, o objetivo principal da categoria é negociar diretamente com o Ministério da Educação.

Erlândio Andrade – Foto: Fabrício Sousa

“Resolvemos aderir a mais este dia nacional de paralisação, de luta contra todos os ataques que o governo federal vem praticando contra o serviço público, servidores públicos, sobretudo os federais”, explica Andrade.

O movimento foi decidido por orientação da Federação Nacional em assembleia realizada nos dias 21 e 22, no Rio de Janeiro, e em assembleia estadual realizada em 24 de outubro na capital Teresina.

“Na terça-feira (14) à tarde os representantes de Picos levarão as pautas locais de interesse dos técnicos administrativos para uma reunião com o reitor. A gente inicia esta jornada, somos pioneiros na deflagração de greve mas conclamamos também para que os servidores públicos em geral se juntem a esta causa que não é só do técnico administrativo, mas é do servidor público”, ressalta o sindicalista.

Serviços paralisados

Foto: Fabrício Sousa

Durante o período de greve, que é por tempo indeterminado, a instituição deixará de prestar todo o serviço técnico administrativo, serviço administrativo, coordenações dos cursos e atendimento bibliotecário.

ENTREVISTA: Erlândio Andrade – Greve dos técnicos administrativos