Ciro Nogueira

O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, negou tratitivas relacionadas à fusão do partido com o PSL, sigla do presidente da República Jair Bolsonaro que vem enfrentando forte crise interna. Ele se referiu as especulações como uma fake news.

“Não é só do PSL com o Progressistas. É impossível haver fusão de dois partidos grandes. Não há como, por conta das questões locais, pois na hora que você vai fazer a fusão se pergunta quem fica no comando em São Paulo, quem fica no Rio, quem fica no Piauí? não tem como fazer isso. Só vai haver a fusão de um partido grande com um pequeno. Dois partidos grandes é mais pra dar notícias nos jornais, nos sites. Isso aí foi uma fake news. Nunca houve essa conversa, essa tratativa. É impossível isso vir a ocorrer. Só quem não conhece como funciona as questões partidárias pode imaginar a fusão de dois partidos grandes”, disse Nogueira em entrevista ao Notícia da Manhã, desta segunda-feira (21).

Para o senador, uma alternativa seria a criação de um novo partido.

“O PSL se tornou o maior partido da Câmara dos Deputados. Legitimamente, isso foi fruto do trabalho do presidente Bolsonaro […] o problema agora é que o presidente Bolsonaro está em pé de guerra como comando da legenda e isso fatalmente vai desaguar com sua saída do partido. Hoje existe a fidelidade partidária e os deputados, em torno de 15 a 20,  que são mais próximos ao presidente e teriam tendência de acompanhá-lo não podem sair do PSL porque senão vão perder seus mandatos. O que acho que é mais previsível é a criação de um novo partido que permite a saída do partido”, disse Nogueira acrescentando ainda que “tudo no PSL é um pouco imprevisível”.

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com