Início Destaque Comércio picoense tem baixa expectativa para o Dia das Mães

Comércio picoense tem baixa expectativa para o Dia das Mães

Foto: Daniela Meneses

Perspectiva para o Dia das Mães ainda não é satisfatória, segundo a vice-presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Picos, Anne Louise Bertino. A data é a segunda melhor para o comércio ao longo do ano, perdendo apenas para o Natal.

Vice-presidente da CDL de Picos, Anne Loise Bertino

“O comércio picoense ainda está com um pouco de recesso por causa da incerteza, voltamos ao período de instabilidade, as pessoas estão com um pouco de receio, mas isso não quer dizer que as pessoas não tenham a vontade de comprar, de presentear, porque o piauiense, o nordestino é um povo amoroso, são pessoas que neste período tem um amor muito grande e isso faz com que aqueçam as vendas”, afirmou.

A vice-presidente da CDL fala que para o comércio se manter aquecido nesse momento em que ainda há uma notória recessão, é necessário investir nas ofertas para atrair os clientes.

“É necessário fazer parcerias, trazendo o cliente para o nosso comércio, trazendo nesse momento de aquecimento, mesmo com a trajetória e o cenário econômico não sendo muito favorável, mas mesmo assim, as nossas expectativas é que tenham as mesmas expectativas do ano passado, nós estamos trabalhando para isso e temos que trabalhar com a certeza de que temos que ter investimento em promoções, em diferenciar e saber que o cliente quer um diferencial, que você pode dar em atendimento, em parcerias, então isso são diferenciais competitivos que nós trazemos é tentar trazer o cliente, tanto fidelizar o cliente já existente, como trazer novos clientes”, pontuou.

Para dar conta da demanda esperada para o Dia das Mães, algumas lojas programaram horários estendidos e promoções especiais ao longo da semana.

A previsão é de que o movimento comece a aumentar na quinta-feira (9), já que a maioria dos consumidores deixa as comprar a última hora. Este ano, as lembrancinhas e presentes de menor valor devem dominar as vendas.

CONFIRA A ENTREVISTA COM ANNE LOISE