Início Destaque Ex-prefeito critica excesso de multas aplicadas pela STTRAM de Picos

Ex-prefeito critica excesso de multas aplicadas pela STTRAM de Picos

Gil Paraibano - Foto: Reprodução

As multas efetuadas pela Guarda Municipal de Picos têm sido alvo de polêmica nas redes sociais e na Câmara de Vereadores do município. Isto porque parte da população alega que as multas estão servindo mais para arrecadação do que para conscientização dos condutores de veículos. Quem também entrou no debate foi o ex-prefeito picoense, o empresário Gil Marques de Medeiros, mais conhecido como Gil Paraibano. Em entrevista à Rádio Grande FM, o ex-gestor teceu várias críticas às medidas implementadas pela Secretaria Municipal de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana.

De acordo com o empresário, pessoas de diversos seguimentos já teriam lhe procurado para lamentar que a população dos municípios da macrorregião estaria buscando produtos e serviços em outras cidades, inclusive, algumas delas fora do estado. “Eu vejo com muita tristeza, pois Picos é a capital da macrorregião onde os perueiros trazem as pessoas para comprar, buscar os serviços nas clínicas, isso é deixar renda na cidade, mas são recebidos é com blitz na entrada da cidade”, afirmou.

Para Gil, está havendo excesso no trabalho dos agentes de trânsito do órgão fiscalizador. “Não somos contra a fiscalização, mas que seja feita de forma digna e respeitosa. Tem guarda que nem aborda o motorista, simplesmente anota a placa do carro. Já me disseram que os guardas aplicam as multas escondidos”, pontuou.

Paraibano também defendeu a entrada dos veículos do transporte alternativo em horários predefinidos no centro comercial. “Acho que as vans devem sim entrar no Centro de Picos para embarcar e desembarcar os passageiros, afinal, vem trazer dinheiro para nossos comerciantes”.

Ainda conforme o suplente de senador, as motos que são o meio transporte mais acessível para a classe pobre, têm se tornado o principal alvo do cerco montado pelos órgãos de trânsito. Um pobre não pode sequer possuir uma motocicleta, porque quando vai emplacar, o valor das multas é mais alto do que o veículo”, salientou.

O ex-mandatário conclamou as entidades classistas para recorrer junto ao prefeito, Padre Walmir Lima (PT), para que ele possa rever a política de trânsito de sua gestão.

CONFIRA A ENTREVISTA COM GIL PARAIBANO