Início Destaque Presidente do SINTE de Picos não descarta nova greve das escolas estaduais...

Presidente do SINTE de Picos não descarta nova greve das escolas estaduais do Piauí

SINTE Regional de Picos (Foto: Daniela Meneses)

Nesta segunda-feira (18) aconteceu a primeira manifestação dos trabalhadores em educação da Rede Estadual de Ensino na luta pelo reajuste salarial de 4,17%. A mobilização ocorreu ao lado do Palácio de Karnak após Governo não dar reajuste do piso salarial de 2019 dos trabalhadores em educação, que deve ser efetuado no mês de janeiro.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica Pública do Piauí (SINTE) está mobilizando os profissionais a realizarem manifestações a fim de cobrar do governo o reajuste. Em Picos, os servidores em educação da microrregião participaram de uma assembleia na sede do sindicato nesta terça-feira (18).

Presidente do Sinte Regional de Picos, Gisele Dantas / Foto: Daniela Meneses

A presidente regional do sindicato, Gisele Dantas, falou sobre a pauta da reunião. “A pauta principal é por conta do reajuste de salário, que a gente vem com essa discussão, buscando o pagamento desse nosso direito. Ontem (18) aconteceu uma assembleia em Teresina com manifestação, e nós fizemos uma hoje aqui, justamente para informar, repassar o que foi discutido lá e os informes gerais”, explicou.

Gisele Dantas criticou o governador Wellington Dias, segundo ela, o gestor não valoriza a classe e está negando um aumento que é de direito da categoria.

“O dinheiro do FUNDEB não passa por lei de responsabilidade fiscal, isso tudo é conversa que o governo inventa para não pagar e repassar para a sociedade que nós estamos querendo uma coisa além. Nós temos o reajuste, nós temos a política de valorização do trabalhador em educação do professor, então esse dinheiro é nosso, é um reajuste pequeno, que é menos do que o da inflação, então cabe ao governador cumprir. O que é que ele vai fazer com o dinheiro que ele está recebendo do Fundeb?”, questionou.

A presidente do SINTE de Picos não descartou uma nova greve da educação do estado, mas afirmou que o ano letivo de 2018 será concluído e que nenhum aluno será prejudicado caso haja uma paralisação no período letivo de 2019. Gisele lembrou a falta de estrutura de muitos prédios e ainda a falta de transporte escolar.

CONFIRA A ENTREVISTA COM GISELE DANTAS