banner2

Nesta terça-feira (12), a Universidade Estadual do Piauí formou sua primeira turma de Licenciatura em Pedagogia, Modalidade Educação do Campo (Pronera), em uma solenidade histórica. Trinta e cinco pessoas oriundas de assentamentos, acampamentos e quilombos de norte a sul do Piauí, tiveram a oportunidade de realizar um grande sonho: a conclusão de curso superior em uma universidade pública de ensino. Durante a noite, todos estavam unidos por um só sentimento: gratidão.

Para Lília Barros, de 39 anos e agora formada em Pedagogia, a sensação é de conquista. “Este momento vivido por nós é fruto de muitas lutas ao longo do curso. Durante todo nosso processo histórico, fomos impedidos de ter acesso aos espaços universitários e para nós é uma vitória ocuparmos espaços e mexermos com aquelas estruturas que não foram para nós e sim para elite”, define.

A emoção também é compartilhada por Maria Barros, de 44 anos que em outros momentos da vida não teve a oportunidade de fazer um curso superior, mas com o projeto, conseguiu realizar um sonho. “Sou de uma família de nove irmãos e a primeira a ingressar no ensino superior. Foi um grande desafio. Enfrentamos muita coisa para chegar onde chegamos, a maioria de nós da turmas viemos da roça onde não se tem muita oportunidade. Até para concluir o ensino médio teria que ser na modalidade à distância, então concluir um curso tão lindo como esse, é uma felicidade enorme”, pontua.

A coordenadora do curso, Lucineide Barros, destacou a riqueza de significados da solenidade de colação de grau da turma, marcada por sentimentos de profunda emoção e desejo de mudança. “A Uespi apresentou 35 novos profissionais da Pedagogia, aptos a atuarem em escolas do campo”, comenta. “Espero que eles sejam recepcionados nas redes municipais, com a oportunidade do concurso público, para que possam compartilhar o que aprenderam e contribuir efetivamente com a melhoria da qualidade do ensino nesses territórios, que são tão marcados pela exclusão educacional”, ressalta.

A colação de grau da primeira turma do Convênio Uespi/Pronera, aconteceu com muita emoção e contou com a presença da Administração Superior da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), financiador do programa, e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), órgãos parceiros que fomentam a formação desses alunos do campo.

De acordo com o reitor Nouga Cardoso, a realização dessa formatura é de imensa felicidade para a Uespi. “Assim como todas as formaturas que são realizadas na nossa universidade, essa nos traz uma alegria especial devido as demandas que envolvem todas essas pessoas e também no ponto de alcance social que a mesma tem. Nós queremos parabenizar e demonstrar nossa enorme satisfação e o sentimento de dever cumprido”, conclui.

Pronera

O Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) em parceria com a Uespi oferece a graduação em Pedagogia, Agronomia e Geografia para pessoas do campo. A duração dos 3 cursos ofertados é de quatro anos, divididos em “Tempo Escola” (em sala de aula) e “Tempo Comunidade” (atividades na comunidade). A ideia é que as pessoas que vivem nos espaços rurais não precisem se dirigir até a capital para ter a oportunidade de estudar e também possam ajudar a fazer crescer o local onde vivem.

Participam também do convênio, levando educação de nível superior a moradores de assentamentos próximos a municípios como Teresina, São João do Piauí, Palmeirais, Buriti dos Lopes, Luzilândia, Joaquim Pires e Piripiri, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Cidade Verde

banner2