Início Destaque Famílias são enganadas com falso cadastro de reserva de residenciais em Picos

Famílias são enganadas com falso cadastro de reserva de residenciais em Picos

Residencial Lousinho Monteiro

Um grupo de pessoas está realizando cadastros falsos dos conjuntos habitacionais Lousinho Monteiro e Antonieta Araújo. Os golpistas estariam ainda pedindo dinheiro para incluir nomes na falsa lista de espera.

Segundo a coordenadora de Habitação de Picos, Cláudia Mônica, muitas famílias já foram enganadas. Ela conta que várias pessoas já procuraram o órgão para receberem a chave das casas que eles seriam contemplados, mas saem decepcionados ao saberem que caíram em um golpe.

Coordenadora de Habitação de Picos, Cláudia Mônica

“Há mais de dois meses a gente tem recebido pessoas muito humildes que procuraram a coordenação querendo saber de cadastro de casas. A princípio, a coordenação não entendia, dizia que não tinha cadastro de casa e a pessoa saía. Ultimamente várias pessoas têm chegado lá querendo receber as chaves, querendo também que eu dissesse que dia era o sorteio dessas unidades do Lousinho Monteiro e do Antonieta Araújo, que tinha feito esse cadastro com um grupo de pessoas, que estão andando, abordando as pessoas nas próprias residências, fazendo esse cadastro, cobrando uma taxa de R$: 160,00, dizendo que é para a unidade ocupacional. E a gente quer deixar bem claro que não existe esse cadastro”, explicou Cláudia Mônica.

A gestora municipal de Habitação reitera que a pasta não cobra para fazer o registro de famílias no programa do Minha Casa Minha Vida. Ela disse ainda que os golpistas afirmam que são representantes dos bancos do Brasil e Caixa, responsáveis pelos empreendimentos.

Cláudia Mônica disse também que após os bancos reintegrarem os imóveis ocupados ilegalmente, novas pessoas serão chamadas através de uma lista de espera já existente na coordenadoria e que um novo registro não será feito.

“O cadastro do Lousinho Monteiro e do Antonieta já aconteceu há mais de dois anos e alguma unidade que venha ter uma desistência ou a reintegração de posse, que é o caso de algumas que estão fechadas e que vão ser reintegradas ao banco, a gente vai chamar o cadastro de reserva por ordem de sorteio que a gente já tem”, garantiu.

A coordenadora orienta as pessoas que estão recebendo a visita e proposta dos falsários, que procurem a polícia para registrar o caso. A Procuradoria Geral do Município está em contato com a polícia a fim de iniciar uma investigação.

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA COM CLÁUDIA MÔNICA