banner2

Os cientistas já sabem que os micróbios que vivem em nosso intestino afetam a saúde. Mais estudos estão olhando se o uso de probióticos para alterar a sua microbiota intestinal pode reduzir os sintomas de doença mental. O intestino pode parecer o último lugar para tratar uma doença mental, mas especialistas dizem que a compreensão da microbiota pode ajudá-los a encontrar problemas, como inflamação, que podem afetar o cérebro.

A pesquisa que foi feita até agora mostra muitas conexões entre a saúde intestinal, a microbiota intestinal e os sintomas de saúde mental.

Isso é verdade não apenas para a ansiedade, mas também para outras doenças mentais, como depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia. Os pesquisadores estão investigando se os probióticos podem ajudar a aliviar os sintomas do autismo. Aqueles sendo usados para ajudar o seu cérebro têm seu próprio nome: psicobióticos.

Bactérias nos intestinos produzem muitos produtos químicos, incluindo neurotransmissores como serotonina, melatonina e acetilcolina, os quais podem afetar diretamente a função cerebral e a saúde mental e ajudar a explicar os benefícios dos probióticos.

Alguns estudos de autismo analisaram os efeitos deles nos sintomas do autismo, algo que também foi tentado com a esquizofrenia. Em teoria, eles podem afetar as bactérias do intestino de forma a reduzir os sintomas das doenças mentais.

Estadão Conteúdo

 

banner2