banner2

O delegado Antônio Nilton Alves, titular da Delegacia da cidade de Oeiras informou que instaurou uma investigação para apurar a morte da universitária Luana Raquel, de 23 anos. A estudante morreu após usar um medicamento para emagrecimento durante seis dias. O atestado de óbito da jovem aponta para intoxicação.

Os policiais ouviram pessoas ligadas a Luanna Raquel, e apreenderam o telefone celular da universitária. O aparelho será analisado para apurar como Luana adquiriu o medicamento para emagrecimento.

“Queremos saber se ela comprou de alguém ou se adquiriu de forma online, pela internet”, disse o delegado Nilton. Segundo ele, a investigação foi instaurada por ofício, já que a Delegacia não recebeu nenhuma solicitação.

Morte por intoxicação

Luanna Raquel Eufrásio, de 23 anos, morreu na noite de domingo (4) na UPA de Oeiras, 280 km de Teresina, com suspeita de intoxicação, de acordo com o atestado de óbito emitido pela unidade de saúde.

Amigas da estudante contaram ao G1 que ela morreu após fazer uso de um medicamento indicado para emagrecimento durante seis dias. Segundo elas, Luanna contou que sofria com os efeitos colaterais do medicamento, desde tonturas e ansiedade até desmaios. As próprias amigas da vítima também fizeram uso do mesmo medicamento e relataram sintomas semelhantes.

De acordo com a Diretoria de Vigilância Sanitária do Estado (Divisa) os medicamentos não têm autorização para comercialização e serão apreendidos.

A Forfarma, empresa que produz o “Redufite Xtreme”, informou que o produto que a jovem tomava não era o original produzido pelo laboratório. A empresa disse ainda que as cápsulas originais contém apenas produtos naturais e que o medicamento clandestino pode conter substâncias sintéticas.

G1

banner2