Início Destaque Enem: 186 mil piauienses vão fazer o exame no domingo (04)

Enem: 186 mil piauienses vão fazer o exame no domingo (04)

Quem está prestes a realizar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), deve estar bem preparado e por dentro de todas as informações necessárias para fazer as provas já que o exame tem uma importância e um peso considerável quando o assunto é ingressar em universidades públicas ou aderir a programas públicos de bolsa ou financiamento de estudo como o Prouni e Fies. Isso porque, a nota conquistada pode valer para admissão ou ainda contar como resultado de prova de vestibular.

No Piauí, 186 mil candidatos farão a primeira etapa do Enem 2018 neste domingo (4), de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os portões dos locais de prova abrirão às 12h no horário de Brasília e às 11h no Piauí, devido o início do horário de verão, e fecharão às 12h. Os horários valem tanto para este domingo (4), quanto para o próximo (11). Nos dois dias, as provas vão iniciar meia hora após o fechamento dos portões.

O professor Wellington Soares, coordenador do Pré Enem da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), nessa reta final é importante o aluno manter a calma, a tranquilidade e afirma que estão preparados para a maratona de provas. “No Piauí todo são 186 mil alunos inscritos no Enem e a rede pública entra com quase 80% desses candidatos. Eu costumo falar que o aluno ao concluir o 2º ano do ensino médio praticamente já viu todo conteúdo, pois o 3º ano é só uma revisão. O nosso projeto é uma revisão da revisão, então em termos de conteúdo eles estão preparados e tem que cuidar agora do aspecto psicológico, trabalhar a ansiedade e toda questão emocional, além de cuidar também do aspecto físico”, declarou.

O tempo da prova ainda uma questão que assusta os alunos. Vai dar tempo de fazer a prova inteira? Quantos minutos devo usar para cada pergunta? Aqui, a dica do professor é simples: leia a questão antes do texto que se precisa interpretar. Ao ler o conteúdo já sabendo quais informações precisas coletar, o entendimento fica mais fácil e aluno consegue focar apenas no necessário para respondê-la.

Neste primeiro domingo, as provas serão de Ciências Humanas e Linguagens e códigos, com 45 questões cada, além da redação. Os candidatos terão 5h30 para responder. Duas horas após o início, o candidato pode deixar a sala de aplicação. Cinco horas depois, ele pode sair com o caderno de questões. Às 19h horas, no horário de Brasília, as provas encerram. Já na segunda etapa, dia 11, as provas serão de Matemática e Ciências da natureza. Neste dia, os candidatos terão 5h para responder as questões. As provas encerram sempre às 18h no horário de Brasília.

“Um aspecto importante que eu sempre recomendo é o alimentar, é preciso ter uma alimentação saudável e no dia das provas jamais sair de casa sem tomar café, o candidato não deve sair em jejum em hipótese nenhuma, porque ele pode passar mal, da mesma forma que ele não pode exagerar no café porque pode da sonolência e provocar um desarranjo intestinal e isso seria terrível”, acrescentou.

O que levar

No dia do exame é obrigatória a apresentação de um documento oficial de identificação com foto. Pode ser a carteira de identidade, carteira de motorista, carteira de trabalho, carteira de reservista ou passaporte. Não serão aceitas cópias, nem mesmo as autenticadas.

Carteira de estudante não é considerado documento oficial. Se o candidato perdeu o documento ou teve o documento roubado, deverá apresentar um Boletim de Ocorrência expedido por órgão policial há, no máximo, 90 dias do primeiro domingo de aplicação.

Outro item obrigatório é caneta esferográfica de tinta preta e fabricada em material transparente. O cartão de comprovação de inscrição, que deve ser impresso na página do Enem, não é obrigatório, mas é recomendável levar para ter acesso mais fácil a dados como o local e a sala da prova.

Redação: obedeça estrutura do texto

Wellington Soares, escritor e professor de português, lembra que o texto dissertativo argumentativo exigido pelo Enem na redação tem caráter reflexivo e defesa de uma ideia, além da preocupação com o uso da norma culta. Ele lembra que a melhor forma de aprender a escrever é escrevendo, e ler sobre temas da atualidade ajuda os candidatos tanto na redação quanto nas questões objetivas.

“O aluno tem que se atentar para as aulas que tiveram, respeitar a estrutura do texto, com quatro parágrafos, não é obrigado ele colocar o título e sobre a questão do tema eu não aposto muito em tentar adivinhar o tema e esse processo não é saudável, pois o aluno tem que está preparado para dissertar sobre qualquer tema e acabar com essa história que redação é inspiração, mas, com certeza, será um tema da atualidade”, revela.

O professor recomendou ainda que o aluno deixe para fazer a redação por último, por que ao longo das questões das matérias do primeiro dia de exame, o candidato pode pegar muitas dicas que são distribuídas ao longo das questões.

“Hoje as questões priorizam muito a interdisciplinaridade, ou seja, o conteúdo de uma matéria está associado a outras matérias, então isso é bacana e privilegia o raciocínio. A dica principal é ter calma, fazer entre 27 e 30 linhas, não fugir ao tema e o mais importante é o desfecho, que é justamente apresentar uma solução para o problema porque se nos formos observar os temas hoje cobrado pelo Enem são sempre problemas a serem solucionados”, orientou.

As redações são corrigidas por dois corretores de forma independente. As notas podem variar de 0 a 1.000, sendo que cada uma das cinco competências vale 200 pontos. Se houver discrepância de notas entre os dois corretores, a redação será corrigida por uma terceira pessoa.

Os textos que apresentarem menos de sete linhas, impropérios, desenhos e partes desconexas com o tema proposto terão nota zero. O edital prevê que as redações que não respeitarem a estrutura dissertativa-argumentativa e fugirem ao tema também recebam zero.

Nervosismo para a prova é um bom sinal

As provas mais importantes do ano para milhões de piauienses estão se aproximando. Falta apenas um dia para o primeiro teste do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), que acontece nesse domingo, dia 4 de novembro. Nesta reta final, segurar a ansiedade pode ser difícil, mas também muito importante pra um bom resultado. A psicopedagoga e especialista em distúrbios de linguagem, Isabel Batista, dá dicas de como manter o equilíbrio antes e durante a prova de domingo.

“Os alunos precisam entender que eles não se prepararam esse ano. São 12 anos de preparação e Enem prioriza e preconiza exatamente todos esses saberes que aluno possui, então estar ansioso para a prova é bom sinal, o que o aluno precisa aprender é controlar essa ansiedade. A medida mais básica que existe é a respiração, portanto respirar profundamente, inspirar, expirar e colocar a consciência na contagem dessa respiração faz com que você se acalme e consiga ter um desempenho melhor”, recomenda a orientadora educacional.

Outra dica a psicopedagoga é que o aluno inicie a prova pela disciplina que o aluno tem maior afinidade e se sente melhor para responder as questões. “O ideal é você começar por aquilo que lhe faz bem, por aquilo que você treinou o ano inteiro, já que os alunos passaram o ano nas escolas fazendo simulados, treinando a redação, elaborando essas questões e convêm na hora da prova colocar em prática a sua estratégia, então aquela prática que foi melhor para você durante o ano é a que deve ser utilizada”, reforçou.

Para trabalhar melhor a ansiedade e o nervosismo, convêm estar perto de pessoas que o aluno confia e que lhe passa confiança e apesar de ser um paradoxo, estar próximo de outras pessoas que também vão realizar o Enem, pode dar força para o candidato. “É preciso ainda dormir, no mínimo, uma hora antes do horário que costuma dormir e enfrentar todo o processo sabendo que ele é necessário para você passar para uma outra etapa, mas que não é o fim do mundo”, finaliza.

Meio Norte