banner2

O jornalista Carlos Roberto Faleiro da Silva, preso pela Polícia Federal em junho desse ano após se passar por médico no litoral do Piauí, foi condenado a 22 anos de prisão em regime fechado pelos crimes de estelionato, exercício ilegal da medicina e falsificação de documento público. A sentença foi proferida pela juíza da 1ª Vara Criminal de Parnaíba, Maria do Perpetuo Socorro Ivani de Vasconcelos.

O falso médico que se passava ainda por coronel da Polícia Militar do Maranhão, foi preso em flagrante no dia 22 de junho em Parnaíba, no momento em que o suspeito realizava ‘atendimento’ a um paciente. O acusado considerado de alta periculosidade cumprirá pena na Penitenciária de segurança máxima de São Raimundo Nonato.

Segundo a Polícia Federal, buscas no sistema nacional apontaram que o falso médico já tem passagem por crimes como estelionato, assalto a mão armada e o uso de documentação falsificada.

Carlos Roberto é natural do estado do Rio Grande do Sul e também foi condenado a 19 anos de prisão por assalto a uma agência da Caixa Econômica Federal no Mato Grosso, mas estava cumprido pena em regime aberto.

Meio Norte

banner2