Início Destaque Profissionais comemoram dia do engenheiro agrônomo em Picos

Profissionais comemoram dia do engenheiro agrônomo em Picos

banner2

Profissionais se reuniram na manhã desta quinta-feira( (11) no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) de Picos para comemorar o dia do engenheiro agrônomo.

O presidente da associação dos engenheiros, Alan Michel, fala da importância e do objetivo da reunião.

“A Associação dos Engenheiros Agrônomos da macrorregião de Picos, viu a importância de debater sobre a questão do curso de agronomia na Uespi (Universidade Estadual do Piauí) de Picos, qual a importância do curso para as demandas da região, junto a isso, estamos aqui também comemorando o dia do engenheiro agrônomo, data esta que foi assinada quando foi regulamentada a lei do curso de agronomia no Brasil”, contou.

Segundo o professor e coordenador do curso de agronomia da Uespi de Picos, Renato Santos, existem dois órgãos que realizam articulações da área na microrregião, o CREA e Associação dos Engenheiros Agrônomos da Microrregião de Picos, esses órgãos vêm ajustando todos os profissionais, organizando e reunindo em algumas sessões, nas quais são tomadas decisões para melhor condicionar o ambiente de trabalho.

O estudante de agronomia da Uespi de Picos, Raimundo Nonato, destaca a importância da área para a sociedade. “Dentro da cadeia produtiva, a gente sabe que junto com veterinário e com o zootecnista, temos um trabalho muito importante, queremos mostrar para a sociedade nosso papel. Hoje estamos aqui para engrandecer essa data e mostrar para a sociedade o quanto o engenheiro agrônomo é importante”.

Vagner Rogério, professor da instituição, fala da relevância da universidade para profissionalização da área de agronomia para região. “Nosso curso já teve várias turmas formandas, inclusive muitos dos engenheiros formados, são formados pela Uespi, há uma parceria da associação com a universidade para atender demandas de produtores e fazer com que a associação venha dar um retorno às diversas cadeias produtivas”, concluiu.

Texto: Danila Azevedo

banner2