banner2

ma mulher de 37 anos foi espancada pelo ex-companheiro e pela família dele na manhã desta quinta-feira (19), no bairro Matinha, na Zona Norte de Teresina. De acordo com a delegada Vilma Alves, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), a vítima teria sido agredida após pedir ajuda para comprar medicamentos para o filho, que tem deficiência mental.

A vítima Maria do Socorro contou ao G1 que foi até a casa do ex-companheiro para pedir ajuda, porque precisava comprar medicamentos para o filho, um rapaz de 28 anos que tem deficiência mental. “Ele quebrou o braço e o médico passou 28 comprimidos e uma tipóia”, disse.

Segundo a mulher, o ex-companheiro nunca a ajudou com os custos da criação do filho. Ao chegar na casa dele, o ex-companheiro e a atual esposa passaram a agredir Maria do Socorro verbalmente, afirmando que não ajudariam. Depois, ela contou ter sido agredida fisicamente pelo casal e outras pessoas da família do ex. “Se juntaram ele, a mulher dele, duas irmãs e o irmão para me bater”, relatou.

Maria do Socorro denunciou o crime para a delegada Vilma Alves. A vítima sofre de epilepsia e chegou a desmaiar devido às agressões, enquanto prestava depoimento na delegacia. Uma ambulância do Samu foi acionada e a vítima encaminhada para o Hospital do Monte Castelo, onde foi atendida pelos plantonistas e recebeu alta por volta do meio-dia.

Ainda de acordo com a delegada Vilma Alves, as investigações sobre o caso ainda estão no início. A vítima irá passar por um exame de corpo de delito. A delegada afirmou que irá ordenar diligências para que os suspeitos sejam presos. “Vamos levar tudo para a Central de Flagrantes de Gênero, já com tudo pronto para fazer prisão em flagrante”, disse a delegada.

Segundo Vilma, o ex-companheiro de Maria do Socorro trabalha como metalúrgico e teria condições de ajudar o filho. “Não pode ser assim, ela ir pedir um direito do filho e ser espancada”, comentou a delegada.

G1 PI

banner2