banner2

Uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) aponta que 81.204 piauienses estão elegíveis para realizar o procedimento, ou seja, precisam da cirurgia por uma questão de saúde ou porque não conseguem perder peso apenas com dieta e exercício físico.

São elegíveis à cirurgia bariátrica, pessoas com diabetes mellitus Tipo 2, com Índice de Massa Corporal entre 30 Kg/m2 e 35 Kg/m2, e ausência de resposta ao tratamento clínico. Já os pacientes com IMC maior que 35, com doenças associadas à obesidade ou acima de 40 – considerada obesidade mórbida – também precisam da cirurgia.

No Brasil 4,9 milhões de pessoas são elegíveis ao procedimento. No nordeste, Pernambuco é o estado com maior número, totalizando 315 mil. O segundo estado em número de pessoas aptas a operar é a Bahia, com 283 mil pessoas, seguida do Ceará com 196 mil, Alagoas com 106 mil, Paraíba com 87 mil e Rio Grande do Norte 82 mil pessoas. O Piauí ocupa o penúltimo lugar no ranking e o Sergipe está em último, com 65 mil pessoas precisando da bariátrica.

De acordo com a mais recente pesquisa da SBCBM, foram realizadas 105.642 mil cirurgias no ano de 2017 no país, ou seja, 5,6% a mais do que em 2016, quando 100 mil pessoas fizeram o procedimento no setor privado.

Pelo SUS o número de cirurgias bariátricas cresceu 215% entre os anos de 2008 e 2017. O crescimento anual médio é de 13,5%. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, Caetano Marchesini, o aumento disparado ocorre porque muitos brasileiros deixaram de ter planos de saúde, o que levou ao aumento da procura pelo Sistema Único de Saúde. “Os estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo são os que mais realizam cirurgias bariátricas. Juntos, eles fazem mais de 82% dos procedimentos pelo SUS no país”, informa.

Portal O Dia

banner2