Início Destaque “Falta de fidelidade”, definiu prefeito sobre votação para presidência da Câmara de...

“Falta de fidelidade”, definiu prefeito sobre votação para presidência da Câmara de Picos

banner2

Na manhã desta terça-feira (03) o prefeito de Picos, José Walmir de Lima, participou do Grande Jornal, na entrevista, o gestor falou sobre a polêmica votação para a presidência da Câmara Municipal. Segundo ele, os parlamentares do grupo PTB não cumpriram com um acordo decidido entre a situação.

O prefeito afirmou que se sente traído por conta da mudança repentina à escolha da mesa diretora, momentos antes da votação.

“Independente do que havia sido decidido, independente do que seria o conteúdo da coisa, o mais importante é a falta de fidelidade. Se eu digo para você ‘vou ficar aqui, vou fazer isso aqui’, e não fez, você perde a confiança.  Se nós tivemos, nos dias anteriores concordado algumas coisas, conversado e de um dia para a noite, toma-se novas decisões entre quatro paredes, acordado com pessoas que não é da situação, não estava com a gente, que intenção você pode imaginar? O quê que pode vir? Então eu que fui traído, independente de ser ou não fulano presidente da câmara”, afirmou.

O gestor municipal disse também que quando iniciaram os rumores de que políticos do grupo do prefeito desintegrariam da situação, tentou conversar com alguns vereadores, porém não foi atendido por nenhum deles. “Se conversamos assim e no dia anterior disseram que estavam [com a situação] e no dia posterior eu tento falar com as pessoas, não atendem, e depois só sei das informações, do resultado, eu tenho que ficar? ”, contou.

OPOSIÇÃO EM MAIORIA

Questionado sobre como administraria o município agora com um número reduzido de vereadores na situação, Walmir Lima pontuou que os projetos serão mandados para a Câmara Municipal da mesma forma e que o seu trabalho não será diferente.

“A gente vai continuar mandando os projetos, a rejeição, a não aprovação, o resultado não caberá a mim, cabe à população avaliar, se o projeto que foi mandado era bom ou não, se não aprovaram, por que não aprovaram? Quem recusou? Eu me sinto muito tranquilo e favorável a trabalhar e continuar trabalhando”.

Sobre a possibilidade de um possível retorno do grupo à situação, o prefeito disse que aceitaria, desde que o trabalho seja voltado para população e não à interesses pessoais.

“Permanece com a gente quem quiser, retorna para a gente, se quiser voltar, venha, desde que concorde em trabalhar pelo povo, isolado de densões, de coisas particulares”.

Walmir disse também que reintegraria às pastas os secretários que foram exonerados recentemente, caso voltassem ao grupo. “Podem [voltar], qualquer um que queiram trabalhar pelo povo”.

O prefeito de Picos negou que teria oferecido uma das secretarias em vacância após as exonerações – Saúde, Agricultura, Cultura e Serviços Públicos – para vereadores da oposição, objetivando salvar o lugar de Hugo Vitor na presidência da casa. “Eu não cheguei a conversar com nenhum”, declarou.

CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA DO PREFEITO WALMIR LIMA-

banner2