Foto: Reprodução

Desde que anunciou sua pré-candidatura ao Senado pelo PRB, o cantor Frank Aguiar voltou às manchetes no Piauí. Não apenas por ser um dos cotados para uma vaga na chapa governista que tentará a reeleição. Mas também por conta das denúncias e acusações sofridas desde que deixou o estado e entrou na vida pública, em São Bernardo do Campo (SP). Casos que levaram o cantor para as páginas policiais são requentados, e nos últimos dias têm viralizado nas redes sociais, em especial no WhatsApp.

O fato mais relembrado é da época que Frank se candidatou a deputado federal, há quatro anos. Foi acusado de ter ligações com o suspeito de comandar rotas nacional e internacional de drogas, Jailson Lopes, o “Jabá”. A polícia também apurava uma suposta rede de proteção o cantor, para tentar livrá-lo das mãos da polícia e denúncias de pagamento de propina. Na época, até escutas telefônicas foram divulgadas pela polícia.

“E ainda quer ser candidato no Piauí”, “tá enrolado até o talo”, “observem a ficha limpa dos candidatos, pesquisem, não se enganem”, dizem algumas das mensagens compartilhadas nas redes sociais. Para muitos internautas, o fato do vídeo ser antigo não exime o hoje pré-candidato.

O cantor disse que está tomando providências diante do compartilhamento de falsas acusações contra ele, e reforça que nada que pudesse lhe incriminar foi provado até agora.

“Isso aí é pra gente perceber os lixos humanos, infelizmente, que cuidam de nossas vidas, que estão à disposição para buscar cargo para nos representar. Não é isso que nós queremos”, diz em áudio encaminhado à reportagem, dando a entender claramente que acredita na ligação de outros políticos na disseminação deste tipo de notícias contra ele.

Frank diz que se conhece, é “uma pessoa do bem e 100% ficha limpa”.

“Eles estão desesperados porque não encontraram nenhuma coisa minha, pegaram esse vídeo horrível, essa mentira horrorosa, de um vizinho meu que era investigado”, destaca o cantor, ressaltando ainda que o processo foi arquivado. “Não tem nada a ver comigo, simplesmente fui usado na campanha passada por outros adversários irresponsáveis, que estão tudo na cadeia, graças a Deus, aqueles que na época me acusaram. É o que vai acontecer com esses aí também”, completa.

Ao 180, lamenta ainda o tempo que tem perdido para se defender. “Hoje com essa internet liberada, libertada desta forma, as pessoas usam infelizmente, da forma que cada um quer”.

O caso de Ciro Nogueira

Além de Frank, outro pré-candidato ao Senado, este à reeleição, também é malhado nas redes sociais por conta das denúncias que tem sofrido. Ciro Nogueira tenta driblar a onda investigações e citações de seu nome em casos especialmente ligados à Lava Jato.

Enquanto sua defesa usa o argumento de que não há provas contra o senador que possam lhe implicar gravemente, Ciro vai segurando o discurso de que trabalha pelo Piauí, e se coloca como o político que mais trouxe recursos para o estado nos últimos anos. O que não convence alguns internauta, que cobram explicações das denúncias contra ele.

Fonte: 180 Graus