banner2

Foi realizado no Departamento de Biologia, do Campus Petrônio Portella da UFPI, o “Curso: Palinologia aplicada à análise de produtos apícolas”. A ideia é colaborar com a formação de alunos e professores na área da Palinologia, parte da botânica que estuda os grãos de pólen, esporos e outras estruturas.

Realizada em abril, a atividade foi ministrada pelo Professor Dr. Paulino Pereira de Oliveira, da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

Os professores doutores Sinevaldo Gonçalves de Moura do, campus Professora Cinobelina Elvas; Darcet Costa Souza (CCA/Teresina); e Juliana do Nascimento Bendini, do campus Senador Helvídio Nunes de Barros, compõem um grupo de trabalho em apicultura no âmbito da Universidade Federal do Piauí, juntamente ao Professor Dr. Laurielson Alencar, vice-diretor do Colégio Técnico de Floriano (CTF/UFPI).

Segundo a Profa. Juliana, o curso contribuiu sobremaneira para a formação dos alunos e professores dos campi de Picos, Bom Jesus e Teresina. A professora destaca que já vem trabalhando há anos na consolidação de um laminário de referência para a análise de produtos apícolas por meio dos grãos de pólen.

“O grão de pólen é como a impressão digital da planta. Essa diversidade de grãos em uma palinoteca sistematizada contribui para estudos relacionados à origem botânica dos produtos apícolas”.

A professora Dra. Maria Carolina Abreu também participa do projeto em Picos e destaca que a palinoteca de Picos é a primeira da UFPI e já conta com 30 espécies identificadas e organizadas. As professoras disponibilizam o material para quem se interessar em fazer pesquisa nesta área.

A acadêmica Jossandra de Jesus Silva do Nascimento conduz seu trabalho de conclusão de curso sistematizando o material e relacionando-o com as plantas identificadas. O trabalho “IMPLANTAÇÃO DA PALINOTECA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ”, de sua autoria, será apresentado entre os dias 16 a 19 de maio no XXII Congresso Brasileiro de Apicultura, na cidade de Joinville, Santa Catarina.

“A ideia é criar um banco de dados com imagens dos grãos, bem como das plantas e das abelhas visitantes no Bioma Caatinga”, afirma a aluna do Curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas do campus Senador Helvídio Nunes de Barros.

Os estudos melissopalinológicos são parte das Ações do Grupo de Estudos sobre Abelhas do Semiárido Piauiense – GEASPI, coordenado pela Profa. Juliana.

UFPI

 

banner2