banner2

Toma lá, dá cá
A foto de uma placa colocada em um buraco na via lateral da BR-316, no bairro Junco, criticando o prefeito Walmir Lima, gerou um reboliço grande na cidade de Picos. A autoria do manifesto não foi revelada. Indignados, um grupo de defensores da gestão saiu em defesa do prefeito e também publicou posts nas redes sociais esclarecendo que a conservação da via em questão é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT). De olho no toma-lá-dá-cá, um crítico da administração disse que Padre Walmir pode dispensar a equipe de comunicação e deixar que a turma dos puxa-sacos anônimos cuide de sua imagem.

Animados
O senador Ciro Nogueira (Progressistas) se reuniu com lideranças políticas da cidade de Picos. O parlamentar disse que o principal motivo de sua vinda ao município modelo foi se aconselhar com seu padrinho político – o ex-prefeito Gil Paraibano. Mas, ao que tudo indica, além de receber os conselhos do empresário, Nogueira prometeu ou já deixou garantida alguma prenda para seus correligionários. É que alguns deles estão mais ansiosos do que noiva em véspera de casamento.

Menino insistente
Em dias idos, existia na região de Picos um padre que cuidava de uma galinha muito cobiçada e bonita. Um dia apareceu Zezinho – menino sapeca, ruivo e cheio de sardas – que chegou ao padre e disse: “Seu padre, me dê sua galinha!”. O padre lhe respondeu: “Zezinho, a galinha não só é só minha, mas de toda a comunidade”. Mesmo diante da negativa, Zezinho continuou insistindo todos os dias e a toda hora: “Seu padre, me dê sua galinha!”. Eis que tempos depois apareceu no confessionário do padre uma moça chamada Chaguinha, que disse: “Seu padre, o Zezinho quer namorar comigo”. O padre, então, perguntou: “O Zezinho é aquele menino ruivo e magrinho?”. A moça confirmou. Diante da revelação, o padre respondeu curtamente: “Minha filha, pois é melhor ceder logo, pois o Zezinho não desiste nunca!”.

O calundu colou
A estratégia adotada pela bancada do PTB em não comparecer à sessão de abertura do ano legislativo em Picos foi bem-sucedida. Nenhum dos petebistas foi bater palmas para o prefeito Walmir Lima (PT) durante a leitura da mensagem anual feita pelo gestor ao Legislativo. Apesar de ter dito que a ausência dos aliados não havia lhe incomodado, na semana seguinte o petista ampliou o espaço dos petebistas na administração. Já há quem diga por aí o quanto vale um calundu na atual gestão.

Parlamentares não acompanharam leitura da mensagem ao executivo – Foto: Assis Santos

Entre tapas e beijos
Comenta-se na “Rádio Calçada” que quem acendeu o cachimbo da paz para os petebistas e o prefeito Padre Walmir tragarem juntos foi o deputado federal Assis Carvalho (PT). Dizem, inclusive, que caso a fumaça branca não tivesse subido, um dos integrantes do conclave que nas últimas semanas andava desprestigiado pelo palácio estava com a língua afiada para falar cobras e lagartos do chefe maior.

Edilson Carvalho, Assis Carvalho e Padre Walmir – Foto: Reprodução/PMP

Assumiram
Diferente da bancada do PTB, a oposição assumiu que não compareceu à sessão de abertura do ano legislativo em Picos para não prestigiar o prefeito Padre Walmir, que na ocasião fez a leitura de sua mensagem ao legislativo.

Contradição
Teve pelo menos dois prefeitos de cidades da macrorregião de Picos que promoveram verdadeiras festas de arromba durante o carnaval em seus municípios. Até aí tudo bem, se não fosse por estarem com os salários de parte dos servidores em atraso. Fosse o contrário, sem dúvida a festa teria sido bem melhor.

Não deram as caras
O prefeito Padre Walmir Lima (PT) não compareceu a nenhuma das noites do Carnaval picoense. E tem mais: assim como o prefeito, a maioria de seus auxiliares também esteve ausente do corredor da folia. O sumiço foi tanto que embora os recursos para realização da festa de momo tenham sido oriundos de uma emenda parlamentar destinada pelo deputado estadual Severo Eulálio (MDB), nem mesmo os emedebistas deram o ar da graça na avenida. Por que será?

Colhendo frutos
O bom desempenho que teve durante os quatros anos em que esteve à frente da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos no município de Picos foi suficiente para o advogado Glauber Silva ganhar reconhecimento a nível estadual, tanto que agora ele foi nomeado coordenador do escritório regional da Secretária Estadual dos Recursos Hídricos, que passará a funcionar no município modelo.

Glauber Silva – Foto: Reprodução/PMP

O preço da rosa
Mesmo fazendo parte da bancada de oposição ao prefeito Padre Walmir Lima (PT), o vereador Antonio Afonso Guimarães Junior, o Afonsinho (Progressistas), foi convidado para assumir a Secretaria Municipal de Saúde. Resta saber duas coisas: A primeira, caso o parlamentar tivesse aceitado o convite, o olho gordo o deixaria assumir? Segundo, qual seria o preço que o progressista teria que pagar?


A Coluna Panorama é assinada pelo jornalista Assis Santos, formado em Rádio e TV pelo Instituto ComRadio do Brasil e Coordenador do Departamento de Jornalismo do Sistema de Comunicação de Picos – SCP

banner2