Coronel Carlos Augusto - Foto: Reprodução
banner2

O comandante da Polícia Militar do Piauí, Coronel Carlos Augusto, confirma que será candidato a deputado estadual na eleição de 2018. Em meio à crise de credibilidade da Polícia Militar, após o soldado Aldo Dorneles, matar a menina Emilly Caetano, em uma abordagem mal sucedida, ele afirma que não poderá discutir o assunto enquanto estiver usando a farda da polícia.

Carlos Augusto ainda não tem partido e diz se negar a conversar com presidentes das legendas enquanto estiver no comando da PM. “Ninguém pode dizer que me viu negociando com algum partido”, declarou.

Aposta de muitos votos no pleito do próximo ano, ocoronel é assediado pelas direções de várias siglas. O PT, partido dogovernador Wellington Dias, era dito como o destino mais provável para ele, masdisputas internas na legenda fizeram ele recuar. Os deputados petistas que irãoconcorrer à reeleição estão tentando bloquear o acesso ao partido de liderançasconsideradas como ameaça. Carlos Augusto seria uma delas.

O caminho de Carlos augusto pode ser o Partido daRepública (PR). O secretário de Segurança, Fábio Abreu, deve deixar o PTB parase filiar ao partido. Fábio teria convidado o coronel para segui-lo na novasigla.

Para conquistar o eleitor, Carlos Augusto quer ser visto como um homem de trabalhos sociais feitos pelo Piauí. “Eu tive uma trajetória muito difícil.Vendia peixe. Tive muita dificuldade para poder estudar e garantir que meus irmãos também estudassem. Nesse momento queremos continuar fazendo esse trabalho de ajudar o povo do Piauí da forma que for possível”, afirmou.

Política Dinâmica

banner2