banner2

Foi preso na manhã deste sábado (11), em Picos, Samuel Marques Gonçalves, mais conhecido como “Samuel de Chico de Chicá”, em cumprimento a um mandado de prisão preventiva pelo crime de tráfico de drogas. Segundo a Polícia Civil, o jovem é acusado de ser o destinatário de cinco quilos de cocaína apreendidos na manhã do dia 10 de julho de 2017, no Terminal Rodoviário Zuza Baldoíno.

“Fizemos aquela apreensão no dia 10 de julho de mais de cinco barras de cocaína, totalizando mais de cinco quilos, fizemos a prisão em flagrante de um rapaz que veio trazendo essa droga de São Paulo. E esse rapaz mantinha contato o tempo todo, durante toda a viagem, com o destinatário, via mensagens, áudios do WhatsApp”, conta Jonatas Brasil, delegado regional da Polícia Civil de Picos.

Segundo Brasil, uma pessoa cuja identidade não foi revelada e que também participa das gravações de áudios no aplicativo de mensagens foi identificada e prestou depoimento. “Essa pessoa foi ouvida na delegacia na presença do seu advogado e confirmou que aquela era a sua voz”, diz o delegado.

Jonatas Brasil revela detalhes do trabalho que levou à prisão de “Samuel de Chico de Chicá”. “Em posse desse mandado de prisão preventiva e também de mandados de busca e apreensão para a residência dele, para a residência dos avós, para a roça dele, locais nos quais ele poderia ser encontrado, nós fomos nessa madrugada fazer o cerco e aguardar o amanhecer para dar cumprimento ao mandado”.

Samuel, no entanto, foi localizado em um restaurante ao lado de sua residência. “Quando adentramos no bar, ele se levantou e então começou a diligência, ele acabou correndo para dentro de um matagal na beira do rio. Então fizemos o cerco, solicitamos apoio da Polícia Militar, duas equipes da Força Tática se deslocaram para lá, continuamos com o cerco e quando amanheceu foi possível termos contato visual. E foi, então, dada a voz de prisão para ele”, relata Jonatas Brasil.

Durante a abordagem, o delegado confirma que houve disparos por parte da polícia e do acusado. “Houve disparos. Quando chegamos no bar e ele correu, ouviu-se estampidos, disparos de arma de fogo, então também foram efetuados outros disparos, porém, nenhum em direção ao preso. Os disparos não foram em sua direção, foram para o chão”, conta Jonatas Brasil.

O delegado informa que durante a prisão houve desacato, desobediência, ameaças aos policiais e a seus familiares por parte de Samuel Gonçalves, todas registradas em vídeos e áudios.

Samuel Gonçalves já responde a outros processos criminais por Homicídio, Tráfico de Drogas e Porte Ilegal de Arma de Fogo. Ele é filho do ex-vereador Francisco Gonçalves Nunes, o Chico de Chicá.

banner2