Início Destaque Curso de Medicina da UFPI de Picos vai funcionar em prédio próprio

Curso de Medicina da UFPI de Picos vai funcionar em prédio próprio

“O Ministro prometeu ao Deputado Federal Mainha Filho uma emenda de R$ 9 milhões para a construção do prédio definitivo do curso de medicina”, afirma Patrícia Batista.

Campus da UFPI de PIcos - Foto: Reprodução

O curso de Medicina da Universidade Federal do Piauí (UFPI), campus de Picos, vem recebendo investimentos do Governo Federal e Estadual para melhorar sua infraestrutura. Desde a aula inaugural, realizada em dia 16 de setembro de 2016, o sonho de estudar Medicina na Capital do Mel se tornou uma realidade para milhares de alunos da macrorregião e estados vizinhos. Agora, passado um ano do lançamento, a instituição trabalha para equipar e estruturar melhor as instalações do curso.

“O ministro prometeu ao deputado federal Maia Filho uma emenda de R$ 9 milhões para a construção do prédio definitivo do curso de Medicina”, revela Patrícia Batista, coordenadora do curso, citando uma reunião entre o reitor da UFPI, Prof. Dr. José Arimateia Dantas Lopes, o deputado federal Maia Filho, o Mainha, e a coordenadora do curso, Patrícia Batista, recebidos pelo Ministro da Educação, Mendonça Filho, para debater a emenda parlamentar.

Hoje, a UFPI de Picos conta com duas turmas de Medicina ambientadas em um bloco especifico do curso, mas a proposta da coordenadora é que a graduação tenha um prédio voltado para área, com laboratórios e gabinetes dos professores.

Patrícia Batista diz que ainda este ano o curso vai receber a emenda parlamentar e fala motivada sobre as melhorias previstas. “O que foi prometido na reunião com o reitor na nossa presença foi que o ministro da educação liberaria ainda esse ano R$ 2 milhões para fazer o processo licitatório. E paulatinamente, no próximo ano, seriam liberadas as demais parcelas”, explica.

Ela ainda refuta as especulações que circulam pela cidade de que a construção do prédio de Medicina seria construído no bairro Pantanal ou na antiga Industria Coelho, no bairro Paraibinha, não são verídicas. “Tanto o prédio de Medicina quanto o prédio de gabinete de professores serão construídos no campus da instituição”, reforça Patrícia.