Foto: Fabrício Sousa

Nesta terça-feira (26) foi o primeiro dia da liminar do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que estabelece que o efetivo mínimo de 80% dos empregados em cada unidade dos Correios, sob pena de multa diária de R$ 100 mil no caso de descumprimento. No Piauí o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Piauí (Sintect-PI) garante a manutenção da greve e que a decisão do TST já é uma medida comum a cada ano de greve.

Segundo o presidente do Sintect-PI, José Rodrigues, a decisão do TST se repete a cada período de greve do setor e garante que a greve continua. “O que sabemos é que tem um carimbo deles todo ano para deixar 80% trabalhando. Não vai mudar o nosso posicionamento”, relatou José Rodrigues acrescentando que a partir de amanhã a greve será fortalecida com a adesão de mais estados.

Em Teresina, nesta quarta-feira (27), os grevistas vão fazer manifestação para defender as reivindicações do movimento. “Estamos com um ato marcado para o edifício sede dos correios em defesa dos Correios e contra o fechamento de bancos postais a partir das 7h da manhã”, disse. Em julho o G1 informou que o banco postal pode fechar em 114 cidades do Piauí.

Segundo a direção dos Correios no Piauí, 83% do efetivo está presente e trabalhando, o que corresponde a 1.270 empregados. A direção do sindicato não informou o total de servidores que estão parados, mas enfatizou que há adesão ao movimento. “É difícil fazer um levantamento preciso, mas é uma adesão expressiva, principalmente no interior do Estado”, pontuou.

G1